Barbeiro da Patracola

afiam-se as navalhas e penteiam-se os pintelhos sem tabús. Qualquer semelhança com a realidade é uma triste coincidência

Month: Março, 2014

by barbeirodapatracola

009

Anúncios

Fadistas de Alpiarça à chapada

by barbeirodapatracola

Foi no nosso facebook, em que Casimira Alves e Carlos Marques se pegaram à chapada e chamaram os nomes todos que conhecemos (e alguns que não conhecemos) um ao outro. Parece que o Carlos Marques foi cantar de galo para o nosso facebook dizer «ah e tal deixem-se disso que eu não gosto de cantar à desgarrada» e a seguir veio logo a Casimira Alves dizer que o Carlos Marques canta pior que a Sandra Cadimas e que não deveria estar em primeiro lugar. Sabemos ainda que António Figueiredo quis entrar na discussão mas com os nervos entornou um copo de tinto em cima no teclado. A Sandra entretanto foi chamar o irmão para a defender, mas o Hugo já disse que está chateado por não ter sido nomeado para os Óscares e insinuou que a irmã chegou as luzes da ribalta sem saber ligar a mesa de mistura. Não percam estas últimas horas em que tudo pode acontecer. Nunca Alpiarça viveu o mundo do espetáculo com tanta intensidade. Não se esqueçam ainda que podem votar até ao final do dia em https://barbeirodapatracola.wordpress.com/2014/03/15/oscares-da-patracola-2014-categoria-musica a

Hoje estamos fechados

by barbeirodapatracola

2feira1A barbearia fecha sempre à 2ª feira. É escusado virem cá hoje, que na nossa folga vamos ver as boazonas do Vale de Santarém. Se quiserem cortes de cabelo à maneira, voltem noutro dia…

As ocupações – O Antes e o Depois…

by barbeirodapatracola

antes

Eram muitos e começaram assim…

depois

E depois alguns, poucos, ficaram assim…

VIVA A REFORMA AGRÁRIA. (para a puta que vos pariu)

Os partidos políticos e a reforma agrária
Excerto do livro “A Reforma Agrária em S. Manços”:

Todos os partidos apresentam, a partir de Maio de 1974, programas de Reforma Agrária. O PS e o PCP propõem a nacionalização ou expropriação dos grandes latifúndios, para entrega a cooperativas de trabalhadores e agricultores ou para parcelamento em exploração familiar. O PPD confere primazia ao direito à exploração sobre o direito de propriedade e propõe o arrendamento compulsivo ou a expropriação da terra subaproveitada. O CDS projeta ações de parcelamento e de emparcelamento de forma a obter unidades produtivas bem dimensionadas e a democratização do capital fundiário nas regiões de grande propriedade. O PPM defende uma verdadeira política antilatifundiária [Maria Almeida; Barreto, 162 e ss.].

A ALA, uma organização de agrários, dirigida por grandes agricultores capitalistas modernizados, a 21 de Maio, divulga em Beja um esboço de programa para a reestruturação agrícola em que reclama medidas para impedir que haja terras mal exploradas [Almada, 43] e a revisão das estruturas fundiárias com vista à criação de unidades de produção. Apoia Spínola na tentativa de golpe de 28 de Setembro. Em Outubro, apoia os planos do Governo, anunciados por Rui Vilar e Armando Bacelar, ambos do PS, para promover o arrendamento compulsivo das terras incultas [DL 10e 18/10/1974]. (…)

O PS e o PSD competem em manifestações e comícios de apoio à Reforma Agrária. Se a 29 de Maio, num colóquio em Lisboa, o PS pretende a entrega da terra a quem a trabalha, a 11 de Junho, o PPD sugere um programa de Reforma Agrária; a 12 de Outubro, antecipando-se ao que poderia sair do congresso do PCP, o PS propõe medidas de expropriação do latifúndio [M.R. Sousa, 210], no que é acompanhado pelo PSD, nos comícios de Valpaços e de Alenquer, a 9 de Novembro e 15 de Dezembro [Almada, Diário]. Em Novembro, o PS diz ser tempo de avançar com a Reforma Agrária pela expropriação de grandes sociedades agrícolas latifundiárias pouco produtivas [Público, dossier]. A 9 de Março de 1975, em campanha eleitoral, quando as ocupações iniciadas em Fevereiro estão suspensas, Mário Soares promete em Montargil a entrega da terra a quem a trabalha. A 12 de Abril, ao Times, declara-se apoiante da Reforma Agrária, advertindo: temos de ter cuidado para não virmos a estabelecer um capitalismo de Estado [DL 12/04/1975].

Álvaro Cunhal remete a Reforma Agrária para um desenvolvimento ulterior [DL 24/09/1974], que consistiria em entregar terras incultas ou de latifúndios aos pequenos agricultores [DL 16/12/1974]. No congresso de Outubro, o PCP não a reclama [Brito, 111], preconiza apenas a entrega dos incultos a cooperativas e pequenos agricultores [DL 21/10/1974]. O “Avante”, seu jornal oficial, não lhe faz menção em 1974. O partido parece concentrar o discurso nos problemas dos pequenos agricultores, nas regiões de minifúndio, apostando na nova lei de arrendamento rural, na lei dos baldios e na abertura de linhas de crédito [DL 17 e 24/06/1974].
Será a 9 de Fevereiro de 1975, numa conferência em Évora, que Álvaro Cunhal proclama: pelas mãos dos trabalhadores a Reforma Agrária deu os primeiros passos e é preciso reforçar a organização e a unidade dos trabalhadores. Pede também a entrega de terras desaproveitadas aos trabalhadores em concordância com as medidas do Governo. Os americanos, que pelos vistos não valorizaram avisos semelhantes do PS, percebem então que a Reforma Agrária está na ordem do dia [T.M.Sá, 216; Piçarra, 2004(1], 209; DL 10/02/1975, Avante, 13/02/1975]. O discurso do PCP nos meses seguintes será marcado pela ambiguidade de reclamar leis de Reforma Agrária e expropriações, sem mencionar expressamente
as ocupações, mas propondo a organização das novas unidades de produção [Moção de sindicalistas reunidos em Évora a 25/05/1975, Arq. GCE,pasta Z-6-4]. Álvaro Cunhal anuncia a 30 de Março: “A Reforma Agrária está hoje ao alcance da nossa mão: é uma questão de dias ou de poucos meses” [DL 31/03/1975]. A 6 de Abril, num comício em Santarém, incita os trabalhadores rurais a seguirem o exemplo do Alentejo na ocupação de terras abandonadas ou mal aproveitadas. A 14 de Abril, em Estremoz, António Murteira, do PCP, declara: a Reforma Agrária tem de ser uma realidade em breve, embora não seja ainda a reforma que o PCP deseja [DL 15/04/1975]. Álvaro Cunhal, em diversas aparições públicas, designadamente no comício de Baleizão a 18 de Maio, vai prometendo: 1975 será o ano da liquidação dos latifúndios [Almada, p. 162]. Mas aconselha os trabalhadores a evitar as greves e as reivindicações salariais [DL 19/05/1975]. (…)

Em Julho de 1975, todos os partidos com assento na Assembleia Constituinte apresentam projetos de Reforma Agrária, fosse simplesmente pela nacionalização das propriedades rurais por explorar ou inconvenientemente exploradas [art. 39 do projeto do CDS], fosse para pôr a terra e a produção agrícola ao serviço do Povo e garantir o acesso dos trabalhadores rurais à propriedade da terra, através da entrega da exploração dos latifúndios mal aproveitados ou nocivos a pequenos e médios agricultores e a cooperativas de trabalhadores [art. 70 do projeto do PPD], ou, mais amplamente, pela transferência da posse útil da terra para aqueles que a trabalham [art. 56 do projeto do PS], ou ainda pela expropriação total do latifúndio [art. 16 do projeto do PCP] [Miranda, Vol. I].

Em Abril de 1976, com os votos maioritários do PS e do PSD, é aprovada a Constituição da República, que consagra uma Reforma Agrária antilatifúndio, com unidades de produção coletivas de trabalhadores rurais ou pequenos agricultores. Acolhe do projeto do PS a noção de posse útil [arts 96 e 97 da constituição], enquanto modo de produção coletiva dos bens do sector público não geridos diretamente pelo Estado [arts 89 e 90]. As revisões constitucionais subsequentes tornarão claro que o sector de propriedade social não tem qualquer reflexo prático [Namorado, 155]. (…)

 

by barbeirodapatracola

bombeiros2

Estádio Josef Stalin

by barbeirodapatracola

playmobil-sports-action-meeneem-voetbalstadion-4725Estádio Josef Stalin será o nome do futuro estádio de futebol que será construído no Casalinho. O Presidente da Câmara além de ir torrar 600.000 euros do dinheiro dos contribuintes na obra, vai ainda aproveitar as comemorações do centenário do concelho para oferecer a todas as crianças de Alpiarça  uma réplica do Estádio, especialmente desenhado pela Playmobil.

Assim não dá !

by barbeirodapatracola

Algemas2012Ontem engavetaram mais 2 romenos em Alpiarça. Hoje, já chegaram mais 10.

Matematicamente falando, poderíamos pensar que estamos com um saldo negativo de 8 (2-10),

mas não é verdade.

O saldo negativo são 12:

Os 10 que chegaram e a quem teremos de pagar o RSI e os 2 que temos que alimentar na prisão e enquanto o juiz não os manda para casa. (10+2)

Assim não dá…

Paul da Gouxa em Aguarela

by barbeirodapatracola

marcos

Uma bonita aguarela do Marcos Oliveira, um rapaz com jeito para a coisa.

Como vêm, às vezes aqui na Barbearia até falamos de coisas  interessantes

marcos

Os Segredos do Presidente

by barbeirodapatracola

top secret

Um cliente da Barbearia informou-me que o nosso Presidente da Câmara recusa divulgar as contas-correntes da Autarquia com os concessionários do Parque de Campismo e das Piscinas.

Por causa disso, o vereador Chico Cunha tem andado a insistir com o Presidente, perguntando se ele tem alguma coisa a esconder relacionado com os dinheiros que os concessionários deveriam pagar de renda.

A recomendação que a Barbearia faz ao vereador Chico Cunha é que deixe-se estar sossegadinho, que qualquer dia os camaradas fazem-lhe uma espera à porta de casa. Olhe que o Evaristo já lhe fez um desenho avisou-o que está marcado (nem a PIDE faria melhor). E não se esqueça que os concessionários em questão até são camaradas pelo que também não devem gostar muito que agora venham a levantar suspeição das negociatas que eles para lá fizeram uns com os outros.

 

 

E quem é que apaga o fogo no quartel ?

by barbeirodapatracola

955486_0cf7_625x1000Mais Uma de muitos ajuntamentos de Bombeiros na ASSOCIAÇÃO DO SACO AZUL—- PARA ALGUNS CORREI«U BEM! NADA DAS CONTAS DE DINHEIROS QUE FORAM EMPRESTADOS SE FALOU ( Segredo de Famila )!!.Mas ah outros QUEM não se pode emprestar para que possam levantar cabeça ……….MAS FOGUETES PODEM TODO …… ORA NEM, JURO DO DINHEIRO FOI RECLAMADA?’????????????????»»»»»?????? Ora eu como tenho visto muita coisa borda Tejo Nunca Vi uma famila ser PRESIDENTE TESOUREIRA SECRETARIO ,, LÁ PODE SE TODO ,,,..NESSA ASSOCIAÇÃO …NADAM PARA AI Borda tejo que se uma auditoria CHEGA SE ..ai ai ai ai ai AI AI iii Querem ser donos de todo nos Bombeiros? Os foguetes Mas Cuidado ah gente atenta deixem de dividir para reinar Já dizia Foguete Balão de agua …Se aquele Manel não desse assas nada disto era assim …Mas depois esse Foguete na soube onde ALMOÇAR JANTAR VOTAR ,,,,ooooooo INTERINO CTE vai pelos foguetes vai ….ai ia …ai ai

Curandeiro do Patacão

 

O Barbeiro da Patracola, depois de ler o que escreveu o Curandeiro do Patacão apela para a serenidade e sugere que façam amor entre vós e não a guerra. O clima anda aí muito quente e precisam de umas mangueiradas com força