Delegados Sindicais de categoria na Reynold

by barbeirodapatracola


Segundo o Murmurante, 20 trabalhadores protestaram à porta da fábrica na passada 5ª feira. O nosso detetive Horácio passou por lá e tirando os mesmos do costume, que por acaso são os do Sindicato, os do PCP, o kamarada deputado Filipov que veio montado num lindo BMW conduzido por um motorista, o controleiro das barbas e o Agente Secreto da KGB Saúlov Feiwosky, não vimos mais ninguém. Os que passaram acidentalmente em frente às câmaras foram os que estavam a trocar de turno de fábrica, o que demonstra bem a forma inteligente e eficaz como o Sindicato e o PCP têm acautelado o interesse dos trabalhadores.

reynold1

Um dos momentos altos foi mesmo quando a kamarada Sandra Pintov saiu da fábrica com a alcofa do bébé numa mão e um cigarro na outra. Não tendo nada contra os cigarros até porque eu também fumo, intrigou-me foi o motivo de uma mãe que leva o bébé para fábrica. Será que existe lá uma creche? Nada como perguntar a um colega. E foi então que soube que a trabalhadora deveria estar em casa porque se encontra de baixa de maternidade, mas como dedicada delegada sindical e kamarada do PCP que é, veio a correr para aparecer na fotografia e fazer banzé.

E na entrevista que lhe fizeram, decidiu chibar-se dizendo que os colegas para se entreterem, “vão jogando às cartas no local de trabalho, vão conversando disto e daquilo, vão fazendo perguntas uns aos outros…”  Seria curioso ouvir a opinião dos colegas sobre as suas palavras.

Em relação aos outros entrevistados, desde a Fernanda Farnel até ao Miguel Galo, nenhum deles precisa de apresentações e todos sabemos do papel de cada um dentro do partido que toma conta da Patracola.

Acho que depois disto, nem vale a pena adiantar muito mais sobre o assunto.

Trabalhadores para a Rua. A Luta continua

Anúncios