Barbeiro Variações também quer barbear

by barbeirodapatracola


Um funcionário público patracolense na clandestinidade enviou-nos este texto para publicação, pedindo encarecidamente que o publicássemos. Assim o fizémos, aproveitando ainda para sugerir ao clandestino que não se distraia no trabalho senão qualquer dia é apanhado. Damos-lhe ainda a sugestão de que futuramente assine como António Variações para que não seja confundido com outros patracolenses. Seja bem-vindo à Barbearia

red_eye_smiley_by_raxavier

CÂMARA DE ALPIARÇA VAI ADERIR, A CURTO PRAZO, AO FAM!

Perguntarão os leitores deste jornal o que é o FAM?

Ora o FAM – FUNDO DE APOIO MUNICIPAL é um regime jurídico de recuperação financeira municipal, que visa a recuperação financeira municipal prevendo vários mecanismos jurídicos e financeiros necessários à adopção de medidas que permitam a um município atingir e respeitar o limite do seu endividamento.

O FAM tem por objecto a recuperação financeira dos municípios que se encontrem em situação de ruptura financeira, bem como a sua prevenção, traduzindo-se na adopção de mecanismos de reequilíbrio orçamental, de reestruturação da dívida e de assistência técnica.

O recurso a este instrumento será facultativo (não é obrigatório mas também não é proibido) para os municípios que reúnam certas condições e que ainda não estejam abrangidos pelo mecanismo de recuperação financeira municipal, podendo optar por um plano de saneamento financeiro (PSF) ou pelo acesso ao FAM.

É certo que a actual maioria do Executivo CDU nega tal intenção, dizendo que para já não tem intenção de aderir ao FAM – FUNDO DE APOIO MUNICIPAL e é neste “para já” que reside o segredo, pois apesar de ficarem um pouco mais condicionados na gestão da autarquia, terão condições de juros mais favoráveis e PODEM MAXIMIZAR A APLICAÇÃO DE TAXAS E IMPOSTOS.

Ora é nesta possibilidade de MAXIMIZAR A APLICAÇÃO DE TAXAS E IMPOSTOS que reside toda a vantagem, pois aqui terão um Bode Expiatório, que carregará com as culpas.

Vejamos: Todos estamos lembrados da autentica guerra que foi travada no seio da CDU entre o Presidente da Câmara e o então Presidente da Assembleia Municipal sobre o aumento do IMI, em que o primeiro queria a aplicação da taxa máxima de 0,5% e o segundo a taxa mínima de 0,3%, acabando por ser aprovada taxa mínima, com rutura muito violenta e a saída da CDU e a eleição pelo TPA do tal Presidente da AM.
Só que 0,3% é como todos sabemos pouco mais de metade de 0,5%, o mesmo é dizer que em vez de contar com uma receita de 650.000 euros, arrecadariam pelo menos 1.000.000 euros, uma diferença que dá para fazer imensa coisa.

Ora aderindo ao FAM há a OBRIGATORIEDADE de cobrar os impostos pelo MÁXIMO, não adiantam “lutas de galos” sem apelo nem agravo nós alpiarcenses vamos pagar a ALCAVALA! porque terão um Bode Expiatório, que carregará com as culpas.

Portanto “mes amis” embora o nosso presidente diga que “FAM jamais”, a verdade verdadinha é que o FAM vem-lhes a calhar como pão para boca, quando não é preciso sermos nós a tomarmos medidas drásticas, porque alguém as toma por nós.

Não irão ser precisas desculpas de “herdamos uma pesada herança do PS”, “gastamos milhões ao serviço da dívida”, porque depois bastará dizer:

Caros camaradas e amigos, a terrível situação financeira de que não conseguimos sair, mau-grado todos os esforços que temos feito, inclusive termos de diminuir a nossa contribuição para o Glorioso, EMPURROU-NOS para o FAM e agora TODOS temos de fazer um esforço para endireitarmos a “nossa” câmara que tanto trabalhinho nos deu a conquistar ao PS. Una-mo-nos todos em redor do nosso querido líder que tudo tem feito para salvar Alpiarça das garras do capital. Obrigado. Viva o PCP. VIVA.”

Anúncios