Patracola – A Capital do Lixo

by barbeirodapatracola


lixoNeste mês que parece ser dedicado ao LIXO Alpiarcense, a julgar pelas críticas surgidas um pouco por toda a parte, vendo esta pose dos dois autarcas, já os estamos a imaginar firmes e atentos junto dos contentores à espera que o “Lixeiro-Mor” pare a camioneta, rape da máscara e da forquilha e comece o seu trabalho de pesquisa e análise ao que os munícipes de Alpiarça ali põem. Dizem fontes bem informadas que estas recolhas irão ser tratadas e analisadas no laboratório existente ali num baixio da rua Ricardo Durão ao lado da antiga casa da já falecida bruxa Farnela. Um exemplo de vanguarda e progresso tecnológico que afinal os outros municípios não têm, apesar de tão gabados por alguns blogues.

Recebido do nosso Cliente: Observatório do Cabeço da Moeda

Pois é, o lixo na Patracola é cada vez mais uma preocupação dos patracolenses. Se têm razão para se queixarem ou não, acho que nem é assunto para perder muito tempo. Basta cheirar.

Venham à rua, vejam o estado dos contentores, vejam o pessoal da Cãmara a lavar à mangueirada no meio da rua os contentores e a nhanha ficar agarrada aos passeios e alcatrão, apreciem as lixeiras clandestinas para os lados do Casalinho ou do Paul da Gouxa, deliciem-se com o homem da forquilha a revolver o contentor em frente à Fundação José Relvas, vejam as águas esverdeadas e podres da barragem, vão dar uma volta pelo percurso pedestre da vala de Alpiarça, ou então vão ouvir um discurso do nosso Presidente da Patracola Kim Jong-Pereira, e está tudo dito: LIXO + LIXO + LIXO + LIXO + LIXO + LIXO

Anúncios