Carta aberta ao Presidente da Câmara de Alpiarça

by barbeirodapatracola


mpSr. Presidente,

É óbvio que o Senhor não existe. E não existe porque não pensa. Porque se o filósofo Descartes dizia “penso, logo existo”, então o senhor não pensa, e por isso não pode existir.

Diz o Senhor Presidente que a Câmara Municipal nunca negará refeições escolares por falta de pagamento. O senhor refere-se ao caso de uma mãe (Selma d’Almeida) que foi para a comunicação social dizer que a Câmara lhe iria retirar o escalão de isenção quando se está a defrontar com dificuldades financeiras. É incrível como o Sr. Presidente se apressou a fazer um desmentido, quando por exemplo não responde em tempo útil às queixas que não lhe interessam responder.

Sr. Presidente, eu, munícipe alpiarcense, para além das 40 horas semanais de trabalho, trabalho ainda mais 5 horas para conseguir obter um rendimento extra que me permita pagar as refeições escolares dos meus filhos, assim como outras despesas. E faço-o com muito esforço, abdicando do meu tempo que poderia estar a utilizar para estar com os meus filhos ou com o meu marido, e porque nunca fiquei a dever nada a ninguém e não quero que digam que devo dinheiro a beltrano ou sicrano.

O Senhor ao dizer que a Câmara nunca negará as refeições às crianças mesmo que os pais não paguem, está a ofender-me. Ofende-me porque sinto que não estou a trabalhar mais  horas por semana para pagar as refeições escolares dos meus filhos. Afinal, trabalho para pagar as refeições dos meus e dos outros que ficam na pastelaria a fumarem cigarros e a gozarem o rendimento que a Segurança Social lhes dá. Se há quem realmente precise de ser apoiado, e eu defendo que devam ser apoiados, o Senhor Presidente sabe tão bem como eu quem são os que são apoiados sem o merecerem ser.

É que os outros, e o Senhor sabe melhor do que eu de quem se trata, nem as 40 horas trabalham. Nem 40 horas, nem 30 horas, nem 1 hora.  E não trabalham porque não querem. Porque a Segurança apoia-lhes a preguiça ou a Câmara Municipal de Alpiarça não os motiva a trabalhar porque vai para a comunicação social dizer que não se preocupem porque os filhos nunca ficarão sem almoçar na escola.

Não conheço a pessoa que o educou desde pequeno Sr. Presidente, mas deixe-me que lhe diga que são atitudes como a sua que me desmotivam. Obviamente que quem o educou não lhe ensinou os valores do trabalho e o valor do dinheiro. É triste, mas é verdade.

Acredito num mundo melhor e acredito que é preciso fazer mais para conseguirmos esse mundo melhor, mas de políticos como V.Exa. deixe-me que lhe diga que não fazem falta nenhuma.

O Senhor não tem vergonha. O Senhor não tem respeito por quem trabalha.

Depois de ler o seu comentário, apetecia-me dizer-lhe que também eu tenho dificuldades económicas e que por isso mesmo iria deixar de pagar as refeições escolares porque afinal os meus filhos nunca seriam impedidos de almoçar na escola.

Mas como a minha educação é diferente da sua, só lhe digo que continuarei a trabalhar mais do que devia, e mais do que o Senhor merecia.

O Senhor não ofende apenas quem trabalha. O senhor ofende toda a classe politica, seja de esquerda, centro ou de direita.

Tenha vergonha e vá trabalhar que é para isso que eu lhe pago, e não para ofender quem trabalha.

Nota da Barbearia: Texto da exclusiva responsabilidade da nossa clientela

Anúncios