Nova Seita na Patracola

by barbeirodapatracola


chicken-pox-chickenJá ninguém percebe a insistência de continuarem com a tradição do Enterro do Galo na Patracola.

O ano passado, o Sem-Ranho roubou (com consentimento) o galo ao sogro. Este ano, foi comprá-lo à Feira de Almeirim. E no fim meteram uma camarada do partido a vender rifas para sortearem o galo e irem depois comemorar para a marisqueira porque não havia ninguém com coragem para cortar o pescoço ao animal. Mas assim é que preservam a tradição?

E depois irem numa procissão dessas com cara de enterro, não ajuda nada quando a intenção é fazer rir a assistência. E este ano toda a gente concordou que não teve graça nenhuma.

Vamos agora falar de versos. Porque foram censurados os versos que eu vos enviei? Estavam com medo que daquilo que eu tinha para dizer de vocês? Só têm é cagunfa, mas coragem para dizer mal das pessoas dizendo que foram outros que escreveram os versos não vos falta. Vocês parecem um grupo de regateiras que andam desertinhas para dizerem mal de qualquer um. Não usam lenço na cabeço, mas usam um lençol. É a mesma coisa. Que vergonha!

Para terminar, aqui fica uma pequena amostra dos versos do Enterro do Galo censurados que muito agradecida fico se esta barbearia os puder publicar.

Foi criada uma nova seita
Para além dos comunistas
Na Travessa da Patracola
Celebram-se cultos intimistas

Naquela casa afamada,
Do bombeiro que Deus tem
À quarta-feira gritam imenso
Parece a gente quando se vem

A Pastora é brasileira
Os fiéis muito devotos são
Mas depois de a cobiçarem
Rezam todos pela absolvição

Anúncios